Rhapis excelsa

Palmeira-ráfia, ráfis

 Rhapis, em grego, significa agulha e excelsa alta, em alusão às hastes compridas e finas, cobertas por um tecido fibroso que a protege dos frios e da estiagem. Esta fibra desaparece nos exemplares mais velhos, dando uma aparência de bambu. As folhas são palmadas e brilhantes, ficando queimadas nas extremidades quando a umidade ambiente é baixa, especialmente em locais internos, portanto é importante pulverizá-las com água mineral diariamente, sem ensopá-las. É ideal para locais onde a luz do sol não existe, sobrevivendo bem na sombra total e protegida de ventos.

Adubações com farinha de sangue, torta de mamona e fertilizantes de liberação lenta, com fórmulas como a 10-00-00 + cálcio, magnésio, enxofre e cobre da Ultraverde, favorecem a boa saúde desta palmeirinha, que possui características singulares, entre outras espécies da mesma família das palmeiras. Já a utilizei em um espaço sem nenhuma luz natural onde se mostrava vistosa por vários meses, substituindo-a por outra similar, enquanto a reabilitava em uma estufa apropriada para fazer a fotossíntese, captando energias luminosas que convertia em energias químicas para sua sobrevivência.

Acesse mais detalhes e informações na nossa Biblioteca de Espécies.

Autor: Raul Cânovas

Posts Relacionados

Comentários
Voltar para a página inicial