Como cultivar brotos em casa: aprenda já

  • 29 de outubro de 2018
  • Categoria: Dicas
Queridinhos nos buffets de saladas em restaurantes, os grãos germinados e os brotos estão ganhando cada vez mais espaço nas refeições. E isso tem vários motivos! Os brotos são ricos em vitaminas, sais minerais e fibras, entre outros nutrientes importantes. Além disso, sua quantidade de calorias é muito pequena, o que faz com que se tornem ideais para quem quer perder peso.

Para quem não está familiarizado, os brotos são sementes que iniciaram a sua fase de transformação, a qual gera uma nova planta. A maior diferença entre o grão germinado e o broto é que este último germinou até apontar as folhas.  Atenção: não vá preparando grãos germinados de qualquer semente, pois estes devem ser apenas de plantas comestíveis. Outro cuidado importante é optar por sementes que não receberam produtos para impedir sua germinação ou proliferação de fungos, ou seja, agrotóxicos. Não compre para consumo as sementes vendidas em lojas de flores ou supermercados, em pacotes, porque essas sempre terão conservantes.

Cultivando os brotos em casa você terá um ótimo alimento sempre a sua disposição. Que tal começar? O Jardim das Ideias mostra como.

Escolha a sua semente

Diversos são os tipos de grão que podem ser germinados. Vamos te dar alguns exemplos: abóbora, aipo, alfafa, aveia, brócolis, cevada, centeio, couve, ervilha (inteira), feijão Azuki, girassol, grão-de-bico, lentilha, linhaça, mostarda, soja e trigo.
Recomendamos que comece pelos mais clássicos, que são conhecidos pela fácil germinação e de sabores mais clássicos, como trigo, girassol e lentilha, por exemplo. Com o decorrer do tempo você pode testar outras sementes. Já imaginou que legal uma grande variedade a pronta mão?

Escolha um recipiente

São vários os que você pode aproveitar para a germinação das sementes.  O ideal é que o local possa ser esterilizado e que seja de material inerte e reaproveitável, como um vidro de conserva.
 
A ideia é criar uma pequena estufa, com umidade e temperatura controlada, criando um ambiente perfeito para a germinação. É importante lembrar que o recipiente deve ser fácil de adicionar água e escorrer esta das sementes. 

Hidrate as sementes

Pela noite, deixe o recipiente com água suficiente para que cubra todos os grãos. Quando a água deixa a semente hidratada, ela acorda e faz com que diversos processos enzimáticos se iniciem, transformando gorduras e carboidratos complexos em formas mais simples, liberando energia para a nova plantinha. Por fim, o processo torna os grãos germinados muito mais fáceis de digerir.

Elas vão germinar

Depois de passar uma noite hidratando as sementes em água, escorra-a, coloque água limpa, escorra novamente e deixe o recipiente virado em 45º, desta forma, os grãos estarão úmidos, mas não encharcados. Só não se esqueça de trocar as telinhas, que podem ser feitas com vários materiais, como meia calça, telas de tules, gaze etc. Faça este processo pelo menos duas vezes por dia, isso manterá suas sementes limpas e em ótimo desenvolvimento. 

Você já pode colher

O tempo de germinação varia de uma espécie para a outra, mas assim que conseguir observar a emissão da raiz, eles já podem ser consumidos. Leguminosas, como feijão, soja e ervilha são indicados que se deixe crescer por 8 a 10 dias, pois elas possuem alguns ativos antinutricionais que podem ser tóxicos se consumidos crus. Mas não se desespere: se eles forem cozidos, o consumo já é possível desde o aparecimento da raiz.

O que você achou? Se gostar, já é hora de você cultivar os seus próprios brotos em casa. Até a próxima.
Comentários
Voltar para a página inicial