Como a jardinagem pode auxiliar no combate da depressão

A depressão afeta mais de dois milhões de pessoas no Brasil por ano. A doença altera o humor, ocasionando a perda de interesse em atividades e prejudicando significativamente o dia a dia. 

A prática da jardinagem pode auxiliar no combate desta enfermidade que é tida por alguns como o “mal do século”. Com tratamento médico adequado, o plantio e cultivo de espécies pode ser um hobby que irá melhorar a saúde mental do paciente, proporcionando momentos de alegria e satisfação. 
Confira algumas dicas para ajudar quem precisa com a jardinagem ou melhorar o seu humor! 

Presenteie alguém especial com uma plantinha
Se você está percebendo que alguém próximo de você anda desinteressado e recluso, pode ser um indicativo de depressão. Que tal presentear esta pessoa com uma linda suculenta? Elas demandam baixo manuseio, são lindas e é quase impossível ter uma só. Ela pode encorajar seu ente querido a se interessar pela prática da jardinagem e ter momentos de lazer e distração. Se você está se sentindo pra baixo, vale ir até a floricultura mais próxima para adquirir a sua!
Horticultura

A prática da horticultura é uma boa técnica, pois é necessário que haja acompanhamento diário, desde o plantio de sementes, regas, observação de crescimento e cultivo das mudas. A terapia através da horticultura é cultuada no mundo todo, sendo benéfica no combate à depressão por conta da satisfação de plantar, colher e se deliciar com as hortaliças cultivadas com carinho e apreço. 

Jardinagem produz serotonina
É comprovado cientificamente que o contato com a terra que a jardinagem proporciona produz serotonina. Este neurotransmissor regula o humor, vontades e impulsos cognitivos e se em níveis baixos, contribui para a pior da depressão. As bactérias presentes no solo são as responsáveis por este aumento da serotonina, ou seja: o bom mesmo é se sujar!  

Compartilhe este texto com seus amigos e lembre-se que o Centro de Valorização da Vida está sempre disposto a ouvir quem precisa. Ligue ou recomende o número 188! 

Comentários
Voltar para a página inicial